PIS/COFINS – Alíquota zero

PIS / COFINS: alíquota zero está restrita ao Regime Não Cumulativo 1A alíquota zero de PIS e COFINS sobre as receitas  de vendas e importação de produtos hospitalares está restrita ao Regime Não Cumulativo

Empresa que apura o Imposto de Renda com base no Lucro presumido não pode usufruir da alíquota de que trata o Decreto nº 6.426/2008.

Quando o assunto é a tributação de PIS e Cofins as discussões são intermináveis…

Se não bastassem várias regras que envolvem o PIS e COFINS, como regime não cumulativo, cumulativo, monofásico e as intermináveis discussões acerca do direito de crédito…

Alguns benefícios de redução a zero da alíquota do PIS e da Cofins estão vinculados ao regime de apuração das contribuições.

Alíquota zero do Decreto nº 6.426/2008 – Produtos hospitalares

O benefício de redução a zero das contribuições de que trata o Decreto nº 6.426/2008 somente se aplica se a empresa apurar o PIS e a Cofins através regime não cumulativo.

Se a empresa revende produtos relacionados no Decreto nº 6.426/2008, mas apura as contribuições através do regime cumulativo de PIS e Cofins não poderá usufruir da alíquota zero.

A mesma regra vale para a Importação dos Produtos.

Isto significa que posso comprar de fornecedor que não paga o PIS e a Cofins (NF-e com CST 06), no entanto em razão de apurar o Imposto de Renda com base no Lucro Presumido, a empresa está obrigada portanto a calcular as contribuições através do regime cumulativo (alíquota básica de 0,65% e 3,0%, Lei nº 9.718/98).

PIS / COFINS: alíquota zero está restrita ao Regime Não Cumulativo 2Daí a importância de estudar as regras tributárias para não cometer equívocos na apuração dos tributos.

Em razão da polêmica que envolve o tema, mais uma vez a Receita Federal esclarece dúvida acerca da aplicação da alíquota zero sobre a receita de venda de produtos hospitalares e também importação.

Através da Solução de Consulta nº 7.005/2020 (DOU de 14/07) a Receita Federal esclareceu que a alíquota zero de que trata o Decreto nº 6.426/2008 aplica-se apenas a empresa que apura o PIS e a Cofins através de regime não cumulativo (Lei nº 10.637/2002 e Lei nº 10.833/2003).

Em 2017 publicamos aqui matéria retratando o tema.

Portanto, a alíquota zero de PIS e Cofins de que trata o Decreto nº 6.426/2008 não alcança a empresa que apura estas contribuições com base no regime cumulativo.

Podemos concluir que de acordo com a regra em vigor, a empresa que apuração Imposto de Renda com base no lucro presumido não pode usufruir da alíquota zero, porque apura o PIS e a Cofins através do regime cumulativo. 

Contador precisa de Certificado Digital? Compre aqui o seu!

Dispositivos legais:

Solução de Consulta nº 7.005/2020

PIS: Lei nº 10.637/2002, art. 2º § 3º; Decreto nº 6.426/2008, art. 1º, III;

COFINS: Lei nº 10.833/2003 art. 2º, § 3º; Decreto nº 6.426/2008, art. 1º, III;

PIS-Importação e COFINS-Importação: Lei nº 10.865/2004, §11 do art. 8º ; e

Código da Situação Tributária – CST de PIS/COFINS: Instrução Normativa nº 1.009/2010.

 

Leia mais:

PIS e COFINS e a alíquota zero sobre a receita de produtos médicos e hospitalares

PIS e COFINS: Crédito sobre insumos está restrito às atividades de produção e prestação de serviços

Confira aqui evento realizado pelo Sindcont-SP com o tema PIS/Cofins: Polêmicas e Oportunidades

PIS e COFINS de marco, abril e maio de 2020: Vencimentos são prorrogados

PIS e Cofins – Compra de Equipamentos de Proteção gera crédito

PIS/Cofins – Receita Federal publica Parecer sobre conceito de insumo

PIS/COFINS – Crédito sobre diversos insumos

PIS/Cofins – Varejo não tem crédito sobre insumos

PIS e COFINS: Posso escolher o CST destas contribuições?

Precisa de Certificado Digital? Compre aqui o seu!

COVID-19: SIGA o FISCO Presta Serviço à Distância de consultoria e treinamento

Ao divulgar esta matéria, fique atento para citar a fonte.

Solicitações de consultas ou respostas podem ser feitas através da contratação do nosso serviço de Consultoria sob Demanda.

_________________________ INFORMAÇÕES SOBRE A EMPRESA SIGA O FISCO___________________________
Quer se manter atualizado? Tem interesse em receber notícias deste Portal? Ao acessar qualquer matéria informe seu e-mail (clique na figura do envelope – basta informar uma única vez).
Siga o Fisco®, estabelecida no município de São Paulo, é uma empresa que oferece serviços de consultoria, Cursos, Treinamento (da sua equipe, do seu cliente e fornecedor), e Palestras (tributos indiretos: ICMS, ISS, IPI, PIS/Cofins e Simples Nacional).  Interessados em nossos serviços poderão entrar em contato. Você sabia que a empresa Siga o Fisco® pode te ajudar ainda que a distância?
Parceiros com Ferramentas que auxiliam na rotina contábil e fiscal: Quer divulgar seu produto neste Portal? Entre em contato!
O Portal Siga o Fisco foi criado para compartilhar informações de interesse dos contribuintes e profissionais que atuam na área contábil, fiscal e tributária. Entendemos que todas as atividades são importantes, inclusive as de fiscalizações realizadas pelos órgãos federais, estaduais e municipais, que muitas vezes ajudam a combater a concorrência desleal. 

PIS e COFINS e a alíquota zero sobre a receita de produtos médicos e hospitalares 4

Por Josefina do Nascimento

 

A alíquota zero de PIS e COFINS sobre a receita de venda de produtos médicos e hospitalares aplica-se somente ao regime não cumulativo das contribuições

 

Desde que o Decreto nº 6.426 foi publicado em 2008, há um dilema acerca da aplicação da alíquota zero de PIS e COFINS sobre as receitas de venda de produtos médicos e hospitalares.

Considerando o disposto no § 3º do art. 2º da Lei nº 10.637 de 2002, § 3º do art. 2º da Lei nº 10.833 de 2003, e no §11 do art. 8º da Lei nº 10.865 de 2004, o governo federal, por meio do Decreto nº 6.426 de 2008, reduziu a zero as alíquotas da Contribuição para o PIS, da Contribuição para a COFINS, do PIS-Importação e da COFINS-Importação, incidentes sobre a receita de venda no mercado interno e sobre a operação de importação dos produtos relacionados nesta norma

 

O esclarecimento de aplicação da alíquota zero das contribuições veio com a publicação da Solução de Consulta nº 99.109/2017 (DOU de 14/09) que foi vinculada à Solução de Consulta COSIT nº 222 de 2017.

 

De acordo com a Receita Federal a redução a zero da alíquota da Contribuição para o PIS/Pasep e para a Cofins prevista no art. 1º, III, do Decreto nº 6.426, de 2008, aplica-se apenas ao regime de apuração não cumulativa desses tributos, não abrange o regime de apuração cumulativa e alcança receitas decorrentes da venda, no mercado interno, de produtos nacionais ou importados.

 

Assim, a pessoa jurídica que apura o PIS e a COFINS pelo regime cumulativo não pode usufruir da alíquota zero destas contribuições prevista no Decreto nº 6.426/2008.

 

Confira aqui integra da Solução de Consulta nº 99.109/2017.

 

Dispositivos legais:

PIS: Lei nº 10.637/2002, art. 2º § 3º; Decreto nº 6.426/2008, art. 1º, III; e

COFINS: Lei nº 10.833/2003 art. 2º, § 3º; Decreto nº 6.426/2008, art. 1º, III.

 

Leia mais:

PIS e COFINS e a tributação dos produtos hospitalares

 

__________________________________________________________________________

 

Tem interesse em receber notícias deste blog? Ao acessar qualquer matéria informe seu e-mail (clique na figura do envelope – basta informar uma única vez).

 

Siga o Fisco é uma empresa que oferece serviços de consultoria, Cursos, treinamento (da sua equipe, do seu cliente e fornecedor), cursos e palestras (tributos indiretos: ICMS, ISS, IPI, PIS, Cofins e Simples Nacional). Temos ainda o Serviço do Especialista Fiscal que vai até a sua empresa (um programa adaptável às necessidades do cliente). Interessados poderão entrar em contato.