Simples Nacional: Bebidas alcoólicas

Por Josefina do Nascimento

 

A Lei Complementar nº 155/2016, autorizou as vinícolas aderir ao Simples Nacional a partir de 2018. Além das vinícolas, o governo incluiu outros setores de produção no  regime, como é o caso das micro e pequenas cervejeiras, e destilarias. Mas a atividade de comércio atacadista de bebidas alcoólicas também pode aderir?

Somente poderão optar pelo Simples Nacional (Art. 17, inciso X “c” e § 5º da LC 123/2006):

  • micro e pequenas cervejarias
  • micro e pequenas vinícolas
  • produtores de licores
  • micro e pequenas destilarias
  • Assim, somente poderão aderir ao Simples a partir de 2018 as empresas que produzam estas bebidas alcoólicas.

Não poderão optar atacadistas que não produzam essas bebidas.

 

A empresa que apenas revende no atacado bebida alcoólica não poderá aderir ao Simples Nacional. A autorização prevista na Lei Complementar nº 155/2016 contempla apenas os produtores.

 

Comércio atacadista de bebidas alcoólicas não produtor

O comércio atacadista de cerveja não poderá optar pelo Simples, também não poderá aderir o comércio atacadista de vinhos.

 

Simples Nacional x Substituição Tributária

As empresas optantes pelo Simples Nacional não estão livres da Substituição Tributária do ICMS.

Assim, os fabricantes de bebidas alcoólicas devem ficar atentos, isto porque deverão atender as regras Substituição Tributária ainda que opte pelo Simples Nacional.

Para saber quais são produtos que o Confaz autorizou os Estados e Distrito Federal cobrar ICMS através da Substituição Tributária, consulte a relação anexa ao Convênio ICMS nº 52/2017.

Ainda que o produto conste do Convênio ICMS nº 52/2017 o contribuinte deve consultar a legislação do Estado de destino da mercadoria.

 

2018: Novo limite e alíquotas

Lei Complementar nº 123/2006 foi alterada pela Lei Complementar nº 155/2016, que aumentou de R$ 3,6 milhões para 4,8 milhões o valor da receita bruta anual, reduziu de 6 (seis) para 5 (cinco) Anexos que tratam das Alíquotas, reduziu de 20 (vinte) para 6 (seis) faixas de receita bruta acumulada e criou a figura da parcela a deduzir.

 

Leia mais:

Simples Nacional: Fisioterapia a partir de 2018 vai depender do fator “r” para definir tabela

Simples Nacional: O que fazer se a receita em 2017 superar R$ 3,6 milhões?

 

____________________________________________________________________________

Que saber mais sobre as novas regras do Simples Nacional? Participe do curso que será realizado dia 10 de novembro em São Paulo. Informe-se aqui.

____________________________________________________________________________

Quer manter-se atualizado?

Tem interesse em receber notícias deste blog? Ao acessar qualquer matéria informe seu e-mail (clique na figura do envelope – basta informar uma única vez).

O Blog Siga o Fisco (https://sigaofisco.blogspot.com.br/) foi lançado em julho de 2011 e em agosto deste ano ganhou este novo Portal.

 

Siga o Fisco é uma empresa que oferece serviços de consultoria, Cursos, treinamento (da sua equipe, do seu cliente e fornecedor), cursos e palestras (tributos indiretos: ICMS, ISS, IPI, PIS, Cofins e Simples Nacional). Temos ainda o Serviço do Especialista Fiscal que vai até a sua empresa (um programa adaptável às necessidades do cliente). Interessados poderão entrar em contato: sigaofisco@sigaofisco.com.br

A sua equipe está preparada para orientar e atender as novas regras do Simples Nacional? Siga o Fisco pode te ajudar. Conte com os nossos serviços.

 

Compartilhe nas redes:

Compartilhe nas Redes!